Evoluímos, mas ainda precisamos evoluir muito mais!

Nunca se falou tanto sobre violência contra a mulher. Assédio deixou de ser ‘engraçadinho’ e virou crime. Evoluímos. Mas ainda há um loooongo caminho pela frente… Por que estou escrevendo isso?

Acho que ainda está para nascer uma mulher que nunca tenha passado por algum tipo de violência física, sexual ou mesmo verbal, de caráter moral/psicológica. Eu mesma já passei por várias situações bastantes desagradáveis em diferentes níveis. E digo; não é legal!!!

Acredito que nem sempre as pessoas fazem esse tipo de coisa ‘por mal’ mas porque realmente não têm consciência do mal que estão fazendo de fato. Às vezes até chegam a pensar que estão agradando. Oi? Pois é…

Pois bem, enquanto houver qualquer tipo de ‘confusão’ nesse sentido, é sinal de que é preciso sim continuar falando sobre isso. Vale para meninos e para meninas também.

Foto em PB porque o assunto é sério. Crédito: Leandro Ramos.

Neste texto eu vou te ensinar como conquistar o homem dos seus sonhos. Preparada?

Olá meninas! Você quer conquistar um relacionamento incrível com o homem dos seus sonhos? Se você é mulher, é bem provável que você já tenha se deparado com algum anúncio nesse estilo pela internet. A maioria deles vendendo cursos para você aprender a conquistar o homem que você quiser e o principal: não deixá-lo fugir! rs. Pois bem, você vai aprender tudo isso AGORA. E de graça! Tá preparada?

A primeira coisa que você precisa entender, para não frustrar suas expectativas, é que o homem dos seus sonhos não existe. Quer dizer, existe no sonho, se não fosse assim, seria real. Dãaaaa! Pois é, sempre vai ter uma ex louca, uma penca de filhos na bagagem, uma barriguinha a mais, um cabelinho a menos, enfim… Mas ainda assim você pode sim encontrar alguém bem próximo do seu ideal. Para isso, você precisa saber quais são as características que você busca num parceiro e o grau de importância de cada uma delas para saber priorizar de forma correta.

Vou dar um exemplo: quero um homem alto, loiro, olhos azuis, milionário, bom de cama e com um corpo malhado. Percebam que nesta descrição fiz um mix entre o dito ‘senso comum’ do que seria um homem ideal e Christian Grey, que personifica grande parte disso. Feito isso, é preciso saber o que é mais importante e menos importante pra mim dentre todas as características enumeradas. Pois bem, comece a focar sua energia nos homens que tenham a característica que é mais importante pra você. Parece lógico, né? Mas não é.

Jamie Dornan encarna Christian Grey em 50 Tons de Cinza

Agora que você já sabe em quem focar sua energia, vamos para a parte de aprender como fazer essa pessoa gostar de você. Antes de começar, vou propor um exercício: se olhe no espelho. Você gosta do que vê? Se a resposta for sim, você já está muito perto de alcançar seu objetivo. Caso contrário, o caminho será um pouquinho mais longo, mas tão compensador quanto ou até mais. Sim, o primeiro passo para fazer o outro gostar da gente é a gente se gostar. Afinal, se nem a gente gostar da gente, como pode outra pessoa gostar? No filme “A Verdade Nua e Crua”, o personagem do maravilhoso muso gostoso Gerard Butler diz assim para a personagem da também maravilhosa Katherine Heigl: ‘Se nem você quer fazer sexo com você, quem vai querer?’ Eles estavam falando sobre masturbação. A frase é sensacional e resume muito bem a ideia toda.

Gerard Butler e Katherine Heigl em A Verdade Nua e Crua. Adoro esse filme!!!

Para você atrair pessoas que estejam de acordo com o que você deseja, você, antes de tudo, precisa se tornar uma pessoa atraente para essas pessoas, até porque essas pessoas não vão ficar com você por obrigação, certo? E a grande sacada é: antes de focar no outro, foque em você! Procure se conhecer melhor, saber o que realmente te faz feliz, do que você gosta, o que te dá frio na barriga, o que te move e por aí vai… Procure identificar também tudo aquilo que você sempre achou que era importante pra você mas que na verdade não é e você achava que era. Doido né? Mas acontece muito! Principalmente por influência de família e amigos.

Depois de fazer essa faxina, encontre seus pontos fortes, tanto físicos quanto traços de personalidade. Aprenda a valorizar mais e mais essas características, invista pesado nisso! Identifique também aquelas caractrísticas que você não gosta muito e procure alternativas para melhorá-las ou mudá-las (quando você não gosta mesmo) e busque também formas de não chamar tanta atenção para elas, disfarçá-las e valorizar o que você tem de melhor, entende? É exatamente isso que os comerciais e aplicativos de foto fazem, já pensou sobre isso? Faça você também no dia a dia para ser uma pessoa mais linda e vibrante sempre. Vale lembrar que a beleza está muito ligada à autoestima, vem de dentro! Se você estiver se sentindo bem com você mesma, isso passa para os outros.

Finalmente, quando você estiver feliz com quem você é e segura de si, você estará apta a conquistar o homem dos seus sonhos! (Ou a versão real dele rs). Tá, mas como? Simplesmente sendo quem você é. É isso que torna a mulher realmente incrível e magnética. Uau! Simples assim? Não! Porque isso não é nada simples. É um caminho mais ou menos longo dependendo de cada uma, mas que vale muito a pena ser percorrido. Ah! É importante alertar que, durante o trajeto, é bem possível que a sua ideia de companheiro ideal mude, pois talvez você perceba que algumas características que você achava que eram importantes pra você não são. Sabe aquela coisa que tudo muda quando você muda? É isso. Até seus relacionamentos. O resto é receita de bolo.

Para o amor entrar, você precisa abrir a porta

Dizem que não há receita para o amor, que, quando ele acontece, simplesmente acontece. Volta e meia me pego pensando sobre isso… Principalmente com tantos sites, matérias e artigos dizendo como agir na hora da conquista – que atire a primeira pedra quem nunca leu um texto assim.

Pois bem, se não há receita para o amor, por que existem tantas receitas por aí? E com tantos elementos em comum? Alguns deles: se quer ser levada a sério, não ‘dê’ no primeiro encontro… deixe ELE te procurar… Finja um certo desinteresse… E por aí vai… Sim, estou falando do ponto de vista feminino por questões óbvias. Pode funcionar? Pode, assim como o contrário também, afinal, quem nunca ouviu histórias de mulheres que tomaram a iniciativa na hora de chamar para sair? Ou que sim, rolou sexo na primeira vez e o casal continua junto até hoje? Se fosse cientificamente comprovado, essas situações não ocorreriam.

Acredito que todas essas ‘atitudes de receita’ despertam o ‘instinto caçador’ que existe dentro do ser humano. É normal querermos aquilo que não temos ou não podemos ter. Aquela história do proibido que é mais gostoso, sabe? Pensando dessa forma, existe sim uma receita, que consiste basicamente em despertar no outro instintos primitivos. Mas seria isso o amor?

Ah, se fosse tão simples… E talvez seja e nós que complicamos tudo. De uns tempos pra cá venho me convencendo disso cada vez mais. Todo ser humano é capaz de amar, está na nossa natureza. Queremos amar e ser amados. Mas, para isso, precisamos estar abertos para o amor e é geralmente aí que a gente começa a complicar tudo.

Que sorte que abriram a porta!!!

Todos temos particularidades, conceitos e (pré)conceitos também. Às vezes idealizamos tanto uma coisa que nos fechamos para novas possibilidades, que podem ser, inclusive, melhores que as inicialmente pensadas. “Ele é muito novo/velho pra mim”, mas você já pensou que essa troca de experiências pode ser benéfica numa relação? “Não estou num momento para começar um relacionamento”, desculpe, tem que agendar? Será que a pessoa não pode acabar contribuindo de forma positiva para o seu ‘momento’? “Ele mora numa outra cidade”, e…??? Hoje falta de comunicação não é desculpa pra nada e, a não ser que ele more num outro planeta, por mais longe que seja é possível se organizar para passar um tempo com a pessoa e nada garante que ele vai morar longe pra sempre né! Etc etc etc… Esses são apenas alguns exemplos das barreiras que colocamos para impedir que o tal do ‘amor’ chegue. E aí vamos em busca de ‘soluções mágicas’ e fórmulas prontas, quando somos nós mesmos que estamos sabotando nossa receita.

Mas e aí? Quer dizer então que devo ficar com qualquer pessoa a todo custo? Claro que não! Todos temos nossas particularidades e modo de ver a vida. E é isso que vai determinar que portas vamos abrir e fechar. O importante é perceber que o amor está aí volta e meia batendo à sua porta. E, para ele entrar, você precisa abrir a porta. 

Relacionamento: paixão ou decisão?

Voltando de um treinamento de alta performance, me deparei com esta questão. Nestes eventos, é muito comum se falar em decisão. Porque tudo tudooooooo começa sempre com uma tomada de decisão. Você pode pensar, refletir, pensar mais um pouco, pensar em outra coisa, voltar a pensar sobre o que estava pensando, mas só quando você decide de fato é que tudo começa. Estava pensando na minha vida amorosa, na vida amorosa das minhas amigas e, de repente, percebi que, em todos os casos, faltava a tal “decisão”.

Nos cursos de alta performance, eles dizem que, quando você toma uma decisão, você se compromete com aquilo, você assume um compromisso com a decisão que você tomou: a decisão de fazer acontecer. Mesmo que, para isso, tenha que superar desafios, vencer obstáculos, enfrentar antigos medos. Afinal, você está comprometido com sua decisão.
Voltando para a questão da vida amorosa minha e das minhas amigas que eu comentei, parece que tudo vai bem do ponto de vista da paixão: existe sentimento, vontade de estar perto, carinho, admiração, atração, química… só falta uma coisa: a decisão.

mumia

Alguém aí está ou conhece alguém que está enrolado?

Tenho uma amiga que está enrolada há sete meses. Falta o quê? Decisão de assumir o relacionamento. Eu estou (tá mais pra estava vai 😬) enrolada há uns dois e faltou o quê? Decisão pra levar a coisa adiante. Ah! Tem também uma outra amiga – esse caso é sensacional – que estava namorando há três anos, ele quis acabar o relacionamento mas continuam saindo. Ou seja: regrediram para o ponto da não tomada de decisão… Me pergunto por que é tão difícil decidir assumir um relacionamento?

Uma vez aconteceu o contrário comigo: com menos de um mês, me pediram em namoro. Confesso que me assustei, achei rápido demais e comentei com minha terapeuta na época que eu nem conhecia a pessoa direito pra começar a namorar. Ela disse na lata: “ué, e namoro não é pra isso? Pra conhecer?” Foi o que bastou para eu aceitar. Não vou entrar em detalhes e nem dizer que foi um relacionamento bastante conturbado e até traumatizante, ops! Falei! E não durou muito também. O importante é que eu decidi experimentar, dar uma chance. Não deu certo, paciência! Mas decidi tentar.

Tatiana-20180215-192

Já não está se relacionando? Assume oras! Por que a dificuldade em decidir?

Por que é tão difícil para algumas (muitas) pessoas fazerem o mesmo? A impressão que dá é que assumir um relacionamento hoje em dia tem o mesmo peso que um casamento tempos atrás – hmmm… isso rende um outro texto – e a tal pressão para casar foi deslocada para a pressão pra namorar. Será???

Só sei que a próxima pessoa que eu me envolver, além de sentimento, vontade de estar perto, carinho, admiração, atração, química etc etc… vai ter que apresentar certificado de treinamento em alta performance. E se for com foco em poder de decisão, melhor ainda!